Bosco II faz viagens ao passado com ferramentas do futuro

Compartilhar

Facebook
WhatsApp

Promissor artista do início dos 2000 retorna com trabalho inédito após dezessete anos

No início dos anos 2000, o guitarrista, vocalista e compositor Bosco II formava com o baixista Gus Borges e o baterista Lucas Ajuz uma banda chamada Fat Elvis & The Scarborough Fair na cidade de Curitiba. Com essa alcunha fantástica e bem humorada, o projeto, logo de cara, trazia referências que iam de Elvis Presley a Frank Zappa, dos Blues Brothers a Simon & Garfunkel.

Desde o início, as canções escritas por Bosco já indicavam um interesse de experimentação por gêneros, sobretudo, da música popular norte-americana como o blues, o rock, o country, o funk e a soul music. Permeadas por esse referencial sonoro e temático, elas haviam sido inspiradas pela sua estadia na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, alguns anos antes. Suas letras poderiam ter saído de algum romance beatnik dos anos 50, ou mesmo de uma espécie de “Nelson Rodrigues de Illinois”. Elas tratam tanto de episódios e personagens concebidos a partir das experiências do músico pelas ruas de cidade norte-americana, quanto de temas de natureza mais autobiográfica.

Dezessete anos após o fim da banda em 2005, a obra inacabada seria finalmente retomada. Até então, o único registro oficial daquele material havia sido produzido por Rodrigo Barros Homem Del Rei (Beijo AA Força, Maxixe Machine, Radiocaos) naquele mesmo ano. Na oportunidade, uma faixa intitulada “Full moon (over the rising sun)” foi gravada no estúdio da Grande Garagem Que Grava, um projeto cultural de incentivo a trabalhos autorais que era encabeçado pelo próprio Barros Del Rei.

Desta vez, todavia, Bosco II reaparece não mais no formato de uma banda, mas com um projeto solo que conta com Ajuz na produção musical, além de sua participação como baterista nas faixas. Com o reencontro dos dois, a ideia era revisitar aquele material que havia sido inicialmente pensado como um disco conceitual, uma espécie de “romance de formação”. O resultado são novos arranjos para faixas inéditas como Thick Blues e Rocky River. Conforme sublinha Bosco: “o objeto, não apenas das letras, mas do projeto como um todo, é fundamentalmente as inter-relações entre o real e o imaginário, o presente e o passado e, sobretudo, o ordinário e o sublime”.

A finalização das faixas, mixagem e masterização estão nas mãos do produtor Eduardo Mangueman, que possui trabalhos com Dow Raiz, Du Gomide, Raissa Fayet, entre outros artistas curitibanos. O primeiro single de Bosco II – intitulado Thick Blues – será lançado no dia 16 de dezembro de 2022 nas plataformas digitais de streaming.

Instagram: www.instagram.com/boscodeux/

Youtube: www.youtube.com/@boscoII

Compartilhar

Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário